Saiba como aderir ao veganismo gastando pouco

Confira as dicas de especialistas para comer bem sem prejudicar o bolso

Publicado em 18/08/2017
Saiba como aderir ao veganismo gastando pouco

Este mês, o texto Como é ser vegana e favelada, da carioca Thallita Xavier, viralizou no Facebook. Na sua opinião, o veganismo é caro, pois se confunde com o fato de ser elitista. “O acesso à informação sobre diversas coisas do mundo vegano não chega na periferia. É elitista porque mesmo não sendo caro o custo da comida, os lugares cobram caro por ela. Porque é criado um conceito que vegetariano é coisa de rico, e pessoas ricas sentem prazer em pagar caro. Por isso, muitas vezes o vegetarianismo é associado à coisa de gente ‘fresca’, porque muito artista, por exemplo, é vegetariano pensando em saúde. E todos nós sabemos que cuidar da saúde é caro”, desabafa.

No entanto, para ela, ser vegano está longe de ser um estilo de vida caro e inacessível. "Veganismo é uma ideologia ética e política na qual você faz o teu possível pra não causar nenhuma crueldade aos animais. Então, nós veganos, não comemos animais, não vestimos animais, não usamos produtos testados em animais e por aí vai. Mas desde quando vegetais são caros? Até onde eu sei, o quilo da batata é bem mais barato que o da carne. Então, nas compras do mês, quem é vegetariano faz economia”, reflete.

Segundo a nutricionista Alessandra Luglio, diretora do Departamento de Saúde e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira, é possível seguir uma dieta livre de ingredientes de origem animal sem gastar muito. “São os alimentos mais simples e baratos que existem. Não precisa comprar produtos veganos que estão no mercado e que são mais caros”, comenta a especialista para o site da revista Boa Forma.

Confira as dicas práticas de Alessandra e da chef Luna Passeri, professora de gastronomia do Namu Cursos, para adotar o veganismo sem nenhum prejuízo:

veganismo

Tomar a decisão

Tenha certeza de que você realmente que ser vegana e seguir uma dieta diferente. Busque informação e esteja receptiva aos novos hábitos alimentares. A partir de agora os legumes serão as suas prioridades, não mais a proteína animal.

Aprenda a cozinhar

Entrar na cozinha e colocar a mão na massa é uma atitude decisiva na vida financeira de um vegano. Produtos prontos sem elementos de origem animal são geralmente mais caros. A exemplo do queijo, leite e afins. Mas com poucos ingredientes é possível fazer tudo em casa com preço bastante reduzido. 

Aposte nos alimentos certos

Para substituir a carne do prato feito diário, é muito importante variar o cardápio. Inclua no menu alimentos diferentes, principalmente as leguminosas, que vão muito além do feijão. Aposte nas lentilhas, ervilhas e grão-de-bico, alimentos que são fonte de proteína, ferro e cálcio, assim como as verduras verde-escuras - caso de couve, escarola, espinafre. 

As sementes (linhaça, girassol, gergelim) são versáteis e fontes baratas de gorduras boas. A linhaça, principalmente, é uma grande fonte de ômega-3. Comer grande variedade de frutas também é fundamental. Economize bastante escolhendo apenas os alimentos específicos da época.

veganismo

Conheça os locais com os melhores preços

Nem sempre a feira ou o supermercado ao lado da sua casa têm o melhor preço. Informe-se sobre pequenos produtores, feiras alternativas e lugares que ofereçam economia. Fique de olho também nos melhores dias para efetuar a compra. 

Use a criatividade

Procure novas receitas na internet e diversifique os pratos. Dessa forma, a sua refeição não vai ficar sem graça e você não correrá o risco de enjoar. Uma feijoada de legumes, por exemplo, pode ser um prato legal e barato. 

Planeje-se

Para não acabar comendo apenas arroz, feijão, alface e macarrão, planeje melhor as suas refeições ou onde você irá comer. Faça cardápios e cozinhe a marmita da semana inteira. Mas se for comer em restaurante, procure pesquisar as melhores opções e as mais econômicas. 

Fotos: Pixabay