Comida verde é menos atraente para o cérebro, segundo estudo

Para a mente humana, os alimentos vermelhos são considerados mais nutritivos e calóricos

Publicado em 16/11/2016

De acordo com experimento de pesquisadores da Escola Superior Internacional de Estudos Avançados (Sissa), em Trieste, na Itália, a cor de um alimento influencia na hora de ser consumido. As comidas vermelhas são mais nutritivas e calóricas, o que estimula o cérebro a ingeri-las. Já os alimentos verdes são vistos como menos atrativos. Essa “diferenciação”, segundo pesquisadores, seria uma herança de nossos ancestrais caçadores-coletores.

"De acordo com algumas teorias, nosso sistema visual evoluiu para identificar facilmente frutas e vegetais particularmente nutritivos em meio à folhagem. E somos particularmente eficientes em distinguir o vermelho do verde”, afirma Raffaella Rumiati, neurocientista da Sissa e coordenadora do estudo, publicado no periódico científico Scientific Reports.

Mecanismo evolutivo

De acordo informações publicadas na reportagem do site O Globo, pesquisadores mostraram imagens de alimentos crus e preparados de diversas cores para 68 voluntários. A intenção era pedir que as classificassem segundo sua atratividade e indicassem qual seria seu valor calórico. O resultado foi que os alimentos na cor vermelha eram mais apetitosos que os esverdeados. O mesmo aconteceu com os alimentos preparados, que receberam uma melhor avaliação geral.

Os alimentos preparados são sempre preferidos porque quando comparados aos alimentos crus são mais nutritivos em igual quantidade. Com as comidas preparadas, porém, a dominância do vermelho sobre o verde não é mais um indicativo confiável (de seu valor nutritivo), o que nos levava a acreditar que nosso cérebro não aplicaria esta regra a elas. Mas ele faz isso, o que sugere a presença de um antigo mecanismo evolutivo anterior à introdução do cozimento”, conclui Raffaella.

Foto: Divulgação